20/08/2021 às 15h19min - Atualizada em 20/08/2021 às 15h19min

CINCO MULHERES SÃO CONTEMPLADAS COM CIRURGIAS DE RECONSTRUÇÃO MAMÁRIA NO PRIMEIRO MÊS APÓS RETORNO DO AME-SE

Serviço foi retomado no dia 19 de julho, após paralisação em razão da pandemia da Covid-19

- Bia Alexandrino
alagoas.al.gov.br
Elielma foi a primeira contemplada com a cirurgia de reconstrução mamária, desde o retorno do Ame-se

Em um mês, desde o retorno, o Programa Ame-se já realizou cinco reconstruções mamárias no Hospital Regional da Mata (HRM), em União dos Palmares. Antes do início do Programa eram realizadas, pelo SUS, cinco reconstruções mamárias por ano, no Estado de Alagoas. O objetivo da iniciativa é reconstruir a mama de mulheres mastectomizadas, que precisaram retirar pelo menos uma dos seios, em decorrência do câncer.

Em janeiro, foi realizada a primeira cirurgia do Programa Ame-se, que teve de ser interrompido em março, em razão da pandemia da Covid-19. Mas, com a diminuição da ocupação dos leitos hospitalares exclusivos para a Covid-19, o Programa retomou no dia 19 de julho.

A primeira paciente a fazer a cirurgia no retorno do Programa Ame-se foi a vendedora de cosméticos, Elielma dos Santos, 32 anos, que teve as duas mamas reconstruídas. Ela recebeu alta médica no dia seguinte e está em casa, com o esposo e as duas filhas:

“Graças a Deus, ao doutor Marcelo e a doutora Francisca, estou recebendo total assistência. Estou me recuperando bem”. A vendedora lembra da ansiedade antes da cirurgia “para este momento tão especial” e afirma que “as mulheres mastectomizadas ficam muito abaladas psicologicamente”.

 A médica mastologista e coordenadora do Ame-se, Francisca Beltrão Matta, comemorou o número de reconstruções que estão sendo realizadas. “O Ame-se é um programa de suma importância para nosso Estado. Antes, eram feitas quatro ou cinco cirurgias de reconstrução mamária pelo SUS por ano. Hoje, em um mês de retomada do programa, já operamos cinco pacientes”, ressaltou.

Ela afirma, ainda, que a reconstrução mamária ajuda a desenvolver a autoestima, a confiança e a sexualidade. “Ajuda também na reintegração social, no reconhecimento da própria imagem no espelho. É maravilhoso ver a alegria nos olhos dessas mulheres”, enfatizou a médica Francisca Beltrão Matta.

Inclusão – Para as mulheres serem incluídas no Ame-se, é necessário ter mais de 18 anos, estar em boas condições clínicas, sem comorbidades ou com as comorbidades controladas. É importante também que o Índice de Massa Corpórea (IMC) esteja abaixo de 27, que tenha autorização do oncologista e já tenha passado pelo tratamento quimioterápico ou radioterápico há, pelo menos, seis meses.

Balanço – Até agora, o Estado de Alagoas, a partir do Programa AME-SE, operou dez mulheres, cancelou duas cirurgias pelo fato de as pacientes terem testado positivo para Covid-19 e triou 58 pacientes.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
OLÁ - NA MIRA ZAP
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp