18/06/2022 às 04h13min - Atualizada em 18/06/2022 às 04h13min

Em sessão ordinária vereadores aprovam projeto de lei que dobra salário do cunhado do atual prefeito de Marechal Deodoro

Titular da secretaria municipal de iluminação dobrará salário de R$6.000,00 para R12.000,00

Prefeito de Marechal Deodoro, Cacau e Titular da secretária de Iluminação pública, Thélio Barreto — Foto: Perfil Oficial

 

O titular da secretaria municipal de Iluminação, Thelio Barreto, casado com Anelise Ayres, irmã do ex-secretário de Saúde do estado de Alagoas, Alexandre Ayres, bem como do atual prefeito de Marechal Deodoro, Cacau, que segundo os vereadores, antes ganhava R$6.000,00, passará a ganhar R$12.000,00.

Veja vídeo: https://youtu.be/xWZftBlMh1c

O projeto foi aprovado pela maioria dos parlamentares, tendo apenas os votos contrários dos vereadores Jorge Mello, Marcelo Moringa e Nelson Ned, que fazem oposição ao atual gestor municipal.

Enquanto isso, Deodorenses estão a ver navios com relação ao sonhado concurso público, que é promessa de campanha do prefeito, desde o seu primeiro mandato, em 2016.

 

Uma ação dos vereadores Jorge Mello e Marcelo Moringa provocou o Ministério Público Estadual (MP) a suspender a tramitação de referido Projeto. Porém, o projeto entrou em pauta novamente na última sessão ordinária em 14/06/2022, sendo colocada em votação e aprovada.

Para o vereador Nelson Ned, o projeto é mais um dos absurdos do chefe do executivo. Não pela criação da secretaria de esporte, mas sim, por outras providências no projeto, que dobra o salário de “apadrinhados” do Prefeito, enquanto servidores públicos do município só receberam aumento de 10%.

 

“Uma subversão de valores”, afirma o vereador Jorge Mello, ao se referir ao presidente da casa Tavares Bastos, o vereador André Bocão. Jorge afirma que o mesmo se beneficia de sistema de cargos em comissão e vai além, afirmando a existência cargos fantasmas, segundo o vereador, havendo uma troca de favores e uma relação promíscua entre o chefe do executivo, Prefeito Cacau, e o presidente da câmara municipal de Marechal Deodoro, André Bocão.

Já o vereador Marcelo Moringa, fez o uso da palavra para frisar que, existem projetos desde fevereiro e nunca entraram em pauta, porém quando chega projeto dessa natureza, tratado pelo vereador como imoral, com intuitos eleitoreiros, que chegou a ser suspenso pelo Ministério Público, o projeto foi colocado em pauta e aprovado pelos colegas vereadores.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
OLÁ - NA MIRA ZAP
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp