14/07/2021 às 10h16min - Atualizada em 14/07/2021 às 09h20min

Perícia confirma que é de Roberta Dias a ossada encontrada no Pontal do Peba, AL

Jovem desapareceu grávida em 2012; sogra e amigo do namorado são acusados do homicídio. Ossos e crânio foram encontrados nove anos após o crime.

G1 AL
Roberta Dias estava grávida quando desapareceu, em abril de 2012; nove anos depois, perícia confirma que é dela ossada encontrada em abril de 2021 — Foto: Arquivo de família
A Perícia Oficial de Alagoas confirmou nesta quarta-feira (14) que a ossada encontrada no Pontal do Peba, em Piaçabuçu, no mês de abril deste ano, é da estudante Roberta Dias, que desapareceu grávida em 2012. Os restos mortais vão ser entregues à família para sepultamento.

A ossada foi achada enterrada em estado avançado de deterioração e alteração óssea. Essas condições, segundo a perita criminal responsável pelo exame, Marina Mazanek, dificultaram o trabalho de extração do DNA para a identificação.

“Devido às amostras estarem bastante deterioradas, precisei realizar várias tentativas de extração do material genético, inclusive usando técnicas diferentes, até conseguir o perfil genético desses fragmentos. A partir do sucesso na extração do DNA dos fragmentos foi possível confrontar com o perfil genético da senhora Mônica Costa, mãe da jovem Roberta Dias. O resultado final do exame foi positivo”, explicou a perita.

Sogra está presa acusada do assassinato
Roberta Dias desapareceu em Penedo, no início de 2012. Com o andamento das investigações, o Ministério Público do Estado (MP-AL) denunciou duas pessoas em 2018 por envolvimento no assassinato: Mary Jane Araújo Santos, que está presa, e Karlo Bruno Pereira Tavares, que responde ao processo em liberdade.

Os acusados são mãe e amigo de Saulo de Thasso Araújo Santos, pai do filho que Roberta estava esperando. Mais uma etapa da audiência de instrução está marcada para o dia 27 deste mês, em que serão ouvidas cinco testemunhas e os dois acusados.


Em 2018, o G1 teve acesso a um laudo pericial produzido pela Polícia Federal de uma conversa gravada em áudio em quem Karlo Bruno admite que ajudou o pai do filho de Roberta a assassiná-la. Na conversa, Bruno conta que o amigo não queria a criança e temia a reação do pai quando soubesse da gravidez. Saulo, contudo, não é acusado na ação penal.

O G1 entrou em contato com a defesa de Karlo Bruno, que informou que prefere não se manifestar neste momento, e vai aguardar a audiência. O advogado Ricardo Soares Moraes adiantou que "no entender da defesa do Karlo Bruno, tal esclarecimento [confirmação de que a ossada é de Roberta Dias], em tese, não interfere, especificamente na nossa defesa. Reconhecemos que é uma evidência processual importante, mas não muda a linha de defesa em busca do que acreditamos que vai levar a verdade dos fatos".

A acusação descreve que Roberta foi sequestrada e levada até um local deserto, onde foi asfixiada com um fio de som de carro. Depois, teve o corpo enterrado em uma cova rasa.

Já Mary Jane, teria sido “a mentora e financiadora da empreitada criminosa”. Durante o crime, segundo a acusação, ela ligou três vezes para o filho “evidenciando a orquestração da trama”, disse o promotor responsável.

Em 2013, ela ficou presa por 60 dias, mas foi liberada após o fim da prisão temporária. A acusada foi presa novamente posteriormente e se encontra no Presídio Feminino Santa Luzia. A informação foi confirmada ao G1 pela Secretaria de Estado da Ressocialização e Inclusão Social (Seris), que administra o sistema penitenciário.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
OLÁ - NA MIRA ZAP
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp